Leve-me com Você

Leve-me Com Você

Saudade e Adeus - Pedacinho do Céu

Saudade, Eterna Saudade...

A saudade existe para confortar nossos corações, pois somente sentimos saudade daqueles a quem, verdadeiramente, amamos...

Um Anjo em Minha Vida

Mãe, eu queria ser um anjo, um anjo com grandes asas brancas cintilantes, ou, até mesmo coloridas asas, isso não importa...

A Carta Que Acalmou Meu Coração

É incrível mão. É difícil expressar essa minha emoção, e todo este intercâmbio que me permite entregar esta carta em suas mãos...

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

2ª Mensagem Psicografada da Tatiana em Uberaba - MG

Minha doce mãe Rosana.

Não creio que você possa ter, pelo menos imaginado que eu deixaria de lembrar do seu aniversário¹ sem entregar a você o meu abraço e um beijo, da maneira que você acostumou a receber de sua filha.

A cada dia posso dizer que me encontro melhor.

Não creio ter em mim tantos méritos, no entanto, Deus não nos deixa sem os recursos. Compreende este Pai de misericórdia a deficiência dos filhos que, assim como eu, não se dispuseram a amar da maneira que Jesus pediu que nos amássemos.

Creio, no entanto, que valorizei minha vida, e não quero deixar de valorizar o bem que Deus me concede, sempre nos apontando a direção do Seu amor.

A tia Silvinha, a tia Ivete, o vovô Paulo, continuam sendo aquelas criaturas prontas a nos auxiliar e gostam que eu me apronte de maneira a me fazer bonita para apresentar-me perante os outros, mostrando sempre que a dor não nos impede o sorriso.

Se nos é permitida as lágrimas, sorrir também é um motivo de sentimento quando extraído do coração sincero.

Garanto a você, mãe, que eu vou estar sempre otimista, e quando me for possível voltarei à Killeen; e no Texas ou no Colorado, poderei sentir que seu carinho e do papai Jorge me ajudam, ainda, a tentar alcançar meus sonhos.

Aos poucos procuro apagar de minhas lembranças o dia do acidente, em que saía de Tubarão com destino à Laguna, para vivenciar algumas horas de alegria junto a nossa Lydia.

A viagem não me permitiu chegar ao destino, no entanto, meu coração agradecido está sempre junto ao da Lydia, com a mesma felicidade que tenho de tê-la na condição de grande amiga.

Entregue à Luciana meu coração, com aquele desejo de que a Lú continue sendo aquela criatura amável, que sei, não nos deixará sem a atenção do seu carinho.

O Thommy está aqui sim! Não nos deixamos. E o cãozinho é, para mim, uma escora em que posso expressar sobre ela o meu jeito de criança que sinto que sou, tocando no animal de maneira a sentir que através do meu gesto, sinto pelas mãos o toque que me fazia tão segura, e por saber que através dele, colocava minha cabeça no ombro do papai Jorge ou que me entregava ao seu abraço de mãe, sentindo que através deste abraço nos declarávamos amor eterno, de mãe e de filha.

Vovó Rosa, o que dizer a você?

Eu e o vovô Paulo sempre comentamos: “Já nos foi possível abraçar uma santa”, e isso, nos referindo a você.

Beijão vó.

Mãe, entregue à Lú o nosso abraço, ao tio Paulo e a todos que nos lembram com o mesmo carinho que deles somos necessitados.

Meus beijos no papai Jorge, afirmando que ele sempre foi e continua sendo o anjo que me protege.

Não fique descontrolada emocionalmente pelo que vem acontecendo com os gatos²; eles também são filhos de Deus.

Beijos e mais beijos de sua filha Tati.

Tatiana Madjarof Bussamra.


Mensagem Psicografada pelo Médium Celso de Almeida Afonso, em Reunião Pública, na Noite do Dia 09/10/2006, no Centro Espírita "Aurélio Agostinho", à Av. Lucas Borges, 61 - Uberaba - MG.

Esclarecimentos:

Rosana e Jorge — Pais;
Lú (Luciana) — Irmã;
Rosa — Avó materna;
Paulo — Tio;
Lydia — Melhor amiga da Tati. A Tati se dirigia à casa de praia da Lydia, em Laguna – SC, para um almoço entre amigos, quando aconteceu o acidente;
Thommy — Cãozinho da raça Maltês, com 3 meses de vida, que a Tati ganhou do pai uma semana antes do acidente e que desencarnou com ela;
Silvinha — Tia materna, desencarnada em 04/05/1986, aos 19 anos, em acidente automobilístico na Via Anchieta;
Ivete — Tia materna, desencarnada em 22/06/2005, aos 44 anos, em decorrência de um câncer;
Paulo — Avô materno, desencarnado em 12/05/1991, aos 57 anos, vítima de infarto;
Tubarão — Apesar de morarmos em São Paulo, a Tati morava em Tubarão – SC, devido ao fato de estar cursando a faculdade de medicina nesta cidade;
Killeen — Cidade localizada no Texas, em que fez intercâmbio estudantil, entre agosto/1999 a agosto/2000;
Colorado — Há 3 anos consecutivos que a Tati passava as férias de final de ano no Colorado, nos EUA, trabalhando em estações de esqui;
¹ Meu aniversário foi no dia 07/10/06 (sábado), e eu recebi esta mensagem no dia 09/10/06 (segunda-feira). Como estava no Centro desde o dia 06/10 e não havia recebido a mensagem, achei que minha Tatinha havia se esquecido de me dar os parabéns, mas, para minha surpresa, na segunda-feira recebi esta linda mensagem e minha Tatinha respondeu aos meus pensamentos, pois não havia comentado com ninguém sobre a questão do meu aniversário;
² Durante a reunião, enquanto o médium psicografava, eu recebi um telefonema da minha Lú e sai para atender. A Luciana estava aos prantos, pois um dos nossos gatinhos, o Titico, estava sem andar e apresentava problemas, aparentemente, de coluna. Vamos observar que o médium já estava recebendo as psicografias, portanto, não teria como ele saber sobre os meus gatos, aliás, ele nem sabia que eu tinha gatos.

*** Nenhuma das informações contidas na mensagem eram de conhecimento do médium Celso de Almeida Afonso. ***

Tatiana Madjarof Bussamra
Nasceu em 21/12/1982 em São Paulo - SP
Desencarnou em 04/02/2006 em Capivari de Baixo - SC

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

1ª Mensagem Psicografada da Tatiana em Uberaba - MG


É incrível mãe!

É difícil explicar esta minha emoção e todo este intercâmbio que me permite entregar esta carta em suas mãos.

Mamãe Rosana, não quero chorar, quero fazer de conta que estou lá no Texas, com minhas lembranças de todos e com a certeza de que aconteça novamente o nosso encontro.

Mãe, naquele dia do acidente, me senti igual a um pássaro voando para atender o trinar de outro amigo que o chama para a festa da vida.

Atendia o convite da Lydia, sentindo em meu ser a felicidade de ser lembrada por alguém a quem coloquei bem dentro do coração.

Próximo a mim, o presente do papai Jorge: o cãozinho Thommy; meu companheiro, motivo de minha alegria.

Saímos de Tubarão, mas não foi possível chegar ao encontro desejado com nossa Lydia.

Não creio que minuciar os detalhes do acidente possa nos causar algum benefício.

Quero apenas dizer que o meu Thommy me acompanha até hoje, e que eu não me deparei com os sofrimentos que possam imaginar.

Aconteceu que o encontro com o outro veículo só me deu a consciência, naquele momento, quando chamei: Meu Deus!

Nada vi, nada senti.

Foi como se apagasse uma luminária que permanece com sua luz na energia da vida.

Me lembro de abrir os olhos pela primeira vez dentro do novo espaço de vida.

Sem alarde, iniciava minha trajetória de encontros.

A tia Silvinha, a tia Ivete, o vovô Paulo, cada um tentando me entregar tudo que possuíam de bom na tentativa de amenizar o meu susto, mas confesso que os encontrei com o meu olhar sem compreender, é certo, mas não transmiti a eles qualquer movimento ou palavra de revolta.

O certo mãe, é que Deus ali se apresentava através do amor de suas criaturas.

Para não complicar o assunto, prolongando-o com nossas palavras, devo dizer que não me faltou calma, e, a presença do Thommy, que logo me foi entregue, era de maneira a me fazer segura.

Sentia junto ao cãozinho, a presença do papai Jorge e a sua presença mãe.

Sentia que minha irmã Lú, a nossa Luciana, ali estava, e, as presenças do vovô Paulo, da tia Ivete e da tia Silvinha me fazia sentir bem.

Ao meu lado a vovó Rosa, e o exemplo desta guerreira me auxiliava a não fraquejar.

O que terminou mãe? O corpo!

Sua filha permanece, e minha vida tem ela os mesmos sentimentos dedicados a vocês.

Vovó Rosa, você é vencedora! Me ajude a ser vencedora.

Dá aquele beijo na Mari e no Paulinho. Diga a eles que são beijos da tia Ivete e meus.

Dá um abração no tio Paulo.

Sinto falta daqueles momentos em que, descontraídos, fazíamos juntos aquela festa em família.

Mãe! Nos amamos.

Permanecemos na condição de grandes amigas e seremos assim sempre; capazes de compreender uma a outra. Meus beijos.

Penso que nos Estados Unidos, me via bem mais distante de você do que estou agora.

Espero que o papai Jorge, através do que escrevo, sinta o quanto de amor tenho por ele, e que meu bondoso pai leve até a vovó Jacy e o vovô Eduardo, meu carinho de neta.

Beijos mãe.

Beijão vovó Rosa. Aprendo com você a ser vencedora.

Amo vocês.

Tati.

Tatiana Madjarof Bussamra.


Mensagem Psicografada pelo Médium Celso de Almeida Afonso, em Reunião Pública, na Noite do Dia 15/09/2006, no Centro Espírita "Aurélio Agostinho", à Av. Lucas Borges, 61 - Uberaba - MG.

*** Nenhuma das informações contidas na mensagem eram de conhecimento do médium Celso de Almeida Afonso. ***

Tatiana Madjarof Bussamra
Nasceu em 21/12/1982 em São Paulo - SP
Desencarnou em 04/02/2006 em Capivari de Baixo - SC

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

O Amor... O Que é o Amor?


Meu amor a tudo diz sim,
Mas o tempo a tudo diz não...
A saudade não se acaba com o tempo,
Mais aumenta a solidão.

O amor!
Ai, o amor!
Se tu soubesses o que é o amor,
Por certo, não escolheria amar.

Amor é doação
Amor é dedicação
Amor é perdão
Amor é aceitação.

O amor mais puro
O amor mais verdadeiro
É o amor que nasce
No ventre de uma mãe.

São nove meses a fio
De espera, de ilusão,
É o desaguar de um rio
Neste mar de emoção.

O amor não tem razão
Nem medo da solidão,
Pois só sofre por amor
Quem amou, somente amou!


© Por Rosana Madjarof – 08/12/2007 – Direitos Autorais Reservados

Poema Recebido da Amiga Sara: Acróstico Para Minha Tatiana



Hoje, dia 22/10/2009, recebi da nossa querida amiga portuguesa Sara

este lindo acróstico com o nome da minha Tatiana.

Um lindo poema que muito me emocionou, pois sou adepta do antigo dito popular:

“Quem meus filhos beija, minha boca adoça”.

Obrigada por todo seu carinho minha amiga. Amei o que escreveu para a minha filhota.


Toda ela luz e cor

Amor de uma mãe que chora

Tão belo e sublime amor

Imutável beleza agora

Anjo presente de Deus

Nunca serás olvidada

pl’A tua mãe, que te adora.


Entre o Riso e a Saudade...


Poder rir da própria morte
É muito melhor que a sorte
De saber sorrir sem viver...
Pois mesmo diante da vida,
Ou de um adeus na partida,
Saber sorrir é não sofrer.

As obras de um pintor
São telas enfeitiçadas,
Com cores bem variadas
Que têm frio ou calor...
Mas são os olhos da alma
Que identificam seu valor.

Nesta vida que vivemos
Somos títeres do amor,
E tudo que aqui temos
São momentos passageiros,
E tal pássaros trigueiros
Alçamos o vôo do condor.

Mas são nos vôos mais altos
Onde a vista não alcança
Que mora a esperança...
E o sorriso da criança
Disfarça toda distância
Da saudade que ficou.

Viver, lutar ou morrer
São sinônimos do amor...
Amor que bate no peito
De um poeta sonhador,
Ou de um futuro doutor
No céu de Nosso Senhor.


© Por Rosana Madjarof – 04/04/2008 – 22:48 h. – Direitos Autorais Reservados

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

A Mais Pura das Essências...


A mais doce das essências
O mais raro dos perfumes
Encontram-se bem guardados
Estão em pequenos frascos.

Mesmo havendo exceções
Estas são poucas e raras
Que por um pequeno descuido
Nesta terra floresceu.

Você não é exceção
Você é jóia preciosa
É a beleza da alma
Que um dia Deus me deu.

É o meu porvir eterno
É o brilho dos meus olhos
O meu orvalho matinal
O meu beijo angelical.

Sem você tudo é saudade
Sem você tudo é passado
Com você tudo é eterno
Obra-prima do meu eu.

Você é a vida em mim
Pois sem você sou ninguém
Enquanto vida existir
Você viverá também.

Minha Boneca Linda, Te Amo, Eternamente, Te Amo!


© Por Rosana Madjarof – 30/11/2007 – Direitos Autorais Reservados

terça-feira, 20 de outubro de 2009

As Flores do Nosso Jardim...


Já não consigo falar das flores,
Nem da natureza das cores,
E o perfume dessas flores
Já não consigo sentir.

O nosso jardim tão lindo
Hoje não brilha mais...
As rosas estão chorando
E secando os roseirais.

Quando você foi embora,
Somente saudade deixou,
E a pobre margarida
De tristeza desfolhou.

Lembra do nosso gerânio?
Aquele de cor lilás?
Ele também se acabou,
E hoje não floresce mais.

O crisântemo tão lindo,
Que você gostava tanto...
Ele não sobreviveu,
E de saudade morreu.

O gramado bem verdinho,
Hoje está amarelado...
Já não existe mais cor
Na grama do nosso amor.

Mesmo sendo primavera,
Onde as flores aparecem,
Não tem mais nenhum encanto
O jardim sem sua prece.

Você falava com as flores,
E seu amor declarava,
Agora sem seu amor
O nosso jardim secou.

Mas há de chegar o dia
De outro jardim encontrar,
E as flores que murcharam
Por certo irão brilhar.


© Por Rosana Madjarof – 20/10/2009 – 21:28 h. – Direitos Autorais Reservados

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Eu Sou...


Eu sou a razão do meu coração, procurando solução...

Eu sou um coração sem razão, que se perde na solidão...

Eu sou a lágrima da chuva, que molha meus sentimentos...

Eu sou âncora quebrada, que aqui jaz naufragada...

Eu sou moinho dos ventos, que leva embora os pensamentos...

Eu sou natureza em festa, que sopra os ventos da floresta...

Eu sou chama incandescente, aquela que foge das enchentes...

Eu sou as dores do mundo, que sofre sem sentir dor...

Eu sou viajante do tempo, buscando conhecimento...

Eu sou como pássaro errante, buscando alguém distante...

Eu sou morte e eu sou vida, como a flor que foi colhida...

Eu sou pergunta sem resposta, nas páginas que escrevi...

Eu sou passagem secreta, que fica além da floresta...

Eu sou montanha encantada, por ter sido enfeitiçada...

Eu sou uma doce canção, em busca do seu refrão...

Eu sou o mar do deserto, na seca do meu sertão...

Eu sou como folha morta, que cai da árvore ao chão...

Eu sou estrada da vida, sem rumo e sem direção...

Eu sou cristal delicado, que não pode ser quebrado...

Eu sou apenas uma mãe, que ama, chora e sorri...

Eu sou apenas uma mãe, que tem seu braço amputado...

Eu sou apenas uma mãe, buscando a fé na razão...

Eu sou apenas uma mãe, que sua filha perdeu...

Eu sou, apenas sou...

Só isso, eu sou MÃE...


© Por Rosana Madjarof – 19/10/2009 - 16:15 h. - Direitos Autorais Reservados

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Um Anjo em Minha Vida...


Mãe,

Queria ser um anjo...

Somente por alguns minutos ou algumas horas.

Queria ser um anjo para poder estar ao seu lado e segurar em suas mãos.

E segurando em suas mãos, sentir o calor que delas emanam.

Queria ser um anjo mãe, somente hoje eu queria ser um anjo.

Queria tirar de você toda a dor e a saudade que consome a sua alma.

Queria poder te dizer o quanto você é importante para mim, e poder fazer você entender o quanto eu estou viva e presente em sua vida.

Mãe, a separação não existe, pois a saudade é a chama do amor que permanece acesa em nossos corações.

Mãe, nossos corações estão unidos pelo amor, pelos dias lindos e felizes que passamos juntas.

Mãe, eu queria ser um anjo, um anjo com grandes asas brancas cintilantes, ou, até mesmo coloridas asas, isso não importa... O que importa é que nas asas da sua imaginação eu permaneça sempre viva, alegre e feliz.

Mãe, eu queria ser um anjo para tirar de você essa angústia, e entregar a você a certeza de que permaneço viva.

Mãezinha querida, não chore por mim, pois suas lágrimas só me entristecem; sorria sempre, pois seu sorriso me faz crescer.

Não lastime nem lamente a minha partida, pois existe a certeza do nosso reencontro, mas mesmo existindo a certeza desse reencontro, não faça com que ele se antecipe, pois se assim acontecer, talvez nos percamos uma da outra.

Mãezinha amada, faça com que a sua dor se transforme em pétalas perfumadas das mais belas flores do nosso jardim eterno, e utilize essas pétalas derramando-as nos corações de outras mãezinhas, pois isso fará com que se sinta mais forte e segura em relação a nossa separação momentânea e, conseqüentemente, essa segurança e essa certeza de que estou bem e feliz, reverterá para essas mãezinhas, que também terão a certeza de que seus filhos tão amados e queridos estão bem, e todos eles estão evoluindo, crescendo e aprendendo para poderem ajudar a tantas pessoas que necessitam de amparo e apoio.

Mãe, não sou um anjo, mas sou a mesma filha dedicada, amiga e fiel, a sua companheira de sempre, e que te ama muito, pois o amor não tem fronteiras nem limites, basta que nossos pensamentos se encontrem e pronto! Estaremos unidas eternamente pelos laços de amor dos nossos corações, de mãe e filha.

Mãe, que todos os anjos do Céu possam estar ao seu lado, amparando-a e protegendo-a sempre.

Te Amo Mãe!


© Por Rosana Madjarof – 30/05/2007 - Direitos Autorais Reservados

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

O Colo de uma Mãe...


As verdades encobertas pelo tempo,
Nem a chuva, nem o vento
Podem-nas revelar,
A regra é silenciar.

Deve-se ter punhos-de-aço
E mesmo com todo cansaço
Não se pode fraquejar
Pois tens que amamentar.

Esbanjando juventude
Na vida que se inicia,
No teu colo irradia
A luz do seu lindo bebê.

O mais doce dos venenos
Não lhe podem alcançar,
Pois que corre em suas veias
O azul do céu e mar.

A mulher já não existe
Ante o pequeno ser,
Agora é a mãe que vive
Para seu filho aquecer.

E no bocejo da noite
Com chuva e com trovão,
Sem temor ela socorre
O filho do coração.

Mãe que é mãe sabe entender
Se o filho tem fome ou dor,
Se sente frio ou calor,
Pois ele é seu grande amor.


© Por Rosana Madjarof – 08/12/2007 - Direitos Autorais Reservados

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Mãe, Presente de Deus...


Mãe em forma de flor
Mãe projeto de amor
Mãe linda dos dias meus
Presente que Deus me deu.

Te escolhi como mãe
E me aceitaste como filha,
E por caminhos cruzados
Seguimos bem, lado a lado.

Houve dias de tristezas
Houve dias de alegrias
Mas os meus melhores dias
Foi você na minha vida.

Seu carinho eu ganhei
Quando seu colo pedi
E meu choro de criança
Transformou-se em sorrir.

Hoje sei que está triste
Da saudade que deixei
Mas estou bem ao seu lado
E suas lágrimas secarei.

Eu não quero ver tristeza
Nesse rosto que é só meu
E peço ao Pai amado
Que enxugue os olhos teus.

Datas marcam nossas vidas
Como o ferro marca o gado
Queimando os corações
E ferindo meu anjo amado.

Se sou anjo em sua vida
Tu foste um anjo na minha
Me embalando em seu braços
Mesmo com todo cansaço.

Estou aqui mãe querida
E estarei toda vida
Pois a vida é eterna
E a tudo principia.

Viva em paz mãezinha amada
Pois na paz te quero ver
Tu bem sabes que te amo
Pois tu és meu querer.

Te Amo.

Tati.


© Por Rosana Madjarof – 04/04/2008 – 19:56 - Direitos Autorais Reservados h.

"Quando escrevi este poema, estava fazendo 2 anos e 2 meses que minha Tatinha havia regressado ao Plano Espiritual, e eu estava com muita saudade da minha menina. Sinto que eu escrevi o que, naquele momento, eu precisava ouvir da minha Tatinha para que eu pudesse ficar melhor comigo mesma, e acredito que ela estava bem ao meu lado, soprando essas palavras em meu ouvidos. Te amo Tatinha".

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

A Missão Que Escolhi...


A doença não me assusta,
Pois com ela eu sei lidar
E não conto pra ninguém
O que eu não quero falar.

Todos olham meu sorriso
Com os olhos do coração,
Mas não sabem o que eu sei,
E todos me querem bem.

A minh’alma pode chorar
Mas meu semblante sorri,
Pois não quero ver sofrer
Os amigos que conheci.

E é assim que eu prefiro
Para poder eternizar
Os amigos que ganhei
Neste espaço singular.

Eu quero espalhar o amor
Em todos os corações,
Para quando eu me for
Ser lembrada em orações.

Para vocês deixarei
Meu carinho e meu amor,
E nas minhas poesias
Sentirão o meu calor.

Mas este dia está longe
Não pensem que é pra já...
Pois sei que minha missão
Está longe de acabar.

Amigos fiquem tranqüilos,
Pois vão ter que me agüentar...
Na minha longa jornada
Seja aqui, ou acolá...


© Por Rosana Madjarof – 12/10/2009 – 22:05 h. - Direitos Autorais Reservados

O Arco-Íris da Vida...


Tatinha,

Que todas as cores do mundo
Possam enfeitar nossos dias
Com todos seus tons e matizes.
Que seja branco ou preto,
Ou colorido, em todas as suas nuances
Mas que seja uma cor viva
Para que a vida tenha VIDA.

Em dias nublados e sombrios
Transforme o cinza em mel
Adoçando o sabor do fel.
Nos dias ensolarados
Onde o amarelo impera
Faça nascer da esfera
A mais autêntica quimera.

O simbolismo das cores
Mesmo nas horas de dores
Exalam a magia da eterna alquimia.
E nas horas mais alegres
Onde impera o amor
Eis que surge alguma cor
Pra realçar seu sabor.

É assim que vejo a vida…
Entre cores e jardins
Onde cantam querubins.
Os anjos vestindo branco
Enfeitam o azul celeste
E na ponta do arco-íris
Reluz um raio dourado
De um sonho inacabado.


© Por Rosana Madjarof – 30/12/2007 – 19:37 h. - Direitos Autorais Reservados

sábado, 10 de outubro de 2009

Meu Pedacinho de Céu...


Minha amiga e companheira
Das horas mais derradeiras
Das noites alvissareiras
Minha vida iluminou.

No brilho do seu olhar
Um sorriso a acalmar
As doces palavras no ar
Como um pássaro a cantar.

Um pedacinho de mim
Que brotou no meu jardim
Onde nasce a canção
Que fala do amor sem fim.

Esse amor que alimenta
A minh’alma sem tormenta,
Por ser puro e cristalino
Verdadeiro e divino.

Quem dera eu pudesse ser
Um pouquinho de você,
E espalhar nos corações
As mais doces sensações.

Como água cristalina
Você é a luz divina
Que faz brilhar o meu ser
Por todo o entardecer.

Hoje sei que tu vieste
Para enfeitar minha vida,
E na hora da partida
Quem morreu não foi você.

Tatinha, meu pedacinho de céu. Te Amo.


© Por Rosana Madjarof – 09/12/2007 – 00:41 h. - Direitos Autorais Reservados

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

A Magia do Amor...


A magia está no ar
No sorriso e no olhar
De quem viveu um amor
De quem sorriu e chorou.

O tempo jamais apaga
Uma lembrança guardada
Bem dentro do coração
Da minha linda canção.

E os acordes da canção
São notas bem definidas
Da mais linda melodia
Onde nasce a poesia.

E as poesias que escrevo
São lágrimas do coração,
Como gotas de orvalho
Declarando a emoção.

E a emoção se transforma
Com as noites de luar,
Com o alvorecer da aurora,
No sol que nasce lá fora.

Os sonhos que já sonhei
As lágrimas que já chorei
As noites que não dormi
Foi só por pensar em ti.

Tatinha, Linda Boneca da Minha Vida Sempre!


© Por Rosana Madjarof – 06/12/2007 - Direitos Autorais Reservados

Nossos Filhos...


Emoção é mais que poema
É rima do coração
Que aflora a sensação
Do amor e da canção.

As lembranças que vivemos
Doces, puras e cristalinas,
São frutos do nosso “eu”
Que em nosso ventre cresceu.

Se hoje temos saudade
E também muitas lembranças
É sinal que o nosso amor
É prova da esperança.

Esperança que floresce
No peito de uma mãe
Que traz consigo a lembrança
Daquela eterna criança.

Os filhos não têm idade
Pois serão sempre crianças
Aos olhos de uma mãe
São imagem da esperança.

E digo para as mamães
Dessa rede virtual
Que o amor que aqui floresce
Vem do espaço sideral.

Nossos filhos, lá do alto,
Estão a nos vigiar
Pois querem que nos unamos
Para outras mamães ajudar.

Então vamos dar as mãos
E agradecer ao Senhor
Pelos filhos abençoados
Que Ele nos enviou.


© Por Rosana Madjarof – 15/09/2009 – 18:20 h. - Direitos Autorais Reservados

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Amor Por Depoimento...

CLIQUE NA IMAGEM PARA AMPLIAR


"Clique na Imagem para Ampliar e Ler o Depoimento"



Eu havia acabado de ingressar no Orkut, e este foi o primeiro depoimento que recebi.


Minha Tatinha sempre me fazia muitas declarações de amor, fossem elas por escrito, faladas, através de beijos e abraços, de telefonemas, ou até mesmo quando me dava alguns "puxões de orelha"...


Eu só posso dizer que eram constantes as declarações de amor que sempre recebi e continuo recebendo da minha Tatinha.


A única diferença é que, agora, essas declarações de amor vêm através de sonhos, psicografias, sensações, mas garanto que são as mesmas de antes, quando ela estava junto a mim com as vestes do corpo físico.


Confesso que tenho medo de algum dia perder meu Orkut, pois ainda mantenho vários recadinhos dela, e esse depoimento que é lindo.


Te amo filha, e te amarei eternamente.


E como última homenagem à minha linda filha Tatiana, coloquei em seu epitáfio a seguinte frase:


"O que é belo não morre, apenas transforma-se em outra beleza".

O Príncipe e o Sapo...


As estórias infantis
Por mais de mil gerações
Encantam e acalantam
Todas as nossas Nações.

E neste conto de fadas
Hoje a festa continua
Pois quem faz aniversário
É o Príncipe Encantado.

Magos, bruxas e duendes
Vão vestir a fantasia
E os animais da floresta
Cantarão com alegria.

Quem sabe venha a Princesa
Para o sapo transformar
E com um beijo de amor
O feitiço irá quebrar.

O Príncipe virou sapo
Pois a bruxa assim o quis
Mais eis que surge a esperança
De um dia mais feliz.

Hoje é seu aniversário
E quero comemorar...
Para o meu amigo Príncipe
Mil flores eu quero dar.

São flores bem coloridas
Que colhi no meu jardim
E o perfume que exalam
Perfumam os querubins.

Neste 8 de outubro
Receba meus parabéns
Em forma de poesia
Amor, saúde e alegria.

Feliz Aniversário Príncipe Encantado!


© Por Rosana Madjarof – 08/10/2009 – 13:25 h. - Direitos Autorais Reservados

Agradecimento Verdadeiro aos Amigos do DIHITT...


Hoje quero agradecer
Todo carinho e amor
Que ganhei dos meus amigos
Em nome do Criador.

Neste meu aniversário
Deus quis me presentear,
Com muitos amigos queridos
Para comigo festejar.

Um Príncipe
Ele enviou
Para alegrar o meu dia,
E veio a Maturidade
Trazendo a sabedoria.

E logo chegou o Amor
Trazendo o doce sabor
Do bolo de aniversário
Que o WanderChef confeitou.

E todos foram chegando
Para minha festa alegrar,
E logo veio o Janilton
Com um poema singular.

Mas muitos ainda vieram
Pra poder comemorar,
Este meu aniversário
Que foi espetacular.

A Lurdinha, minha amiga,
Fez um poema também,
Que tocou meu coração
E me encheu de emoção.

E de Portugal vieram
Duas amigas eu sei,
A Sara e a Luísa
Estiveram aqui também.

A Joana e a Miriam
Com a Josy aqui chegaram,
Julio César e Rodrigo
Também por aqui passaram.

A Denize e a Helena,
A Sandra e a Renata,
A Yara e o Fabiano
Trouxeram a amiga Fátima.

E chegou a amiga Deusa
Trazendo a Tempestade,
Mas Clodoaldo e Roberto
Trouxeram a amiga Pat.

Nakamura do Japão
No meu Blog escreveu
Que o Antonio e o Martins
Eram amigos meus.

Mas o Erick e o EWF
Vieram com a Juliana,
E com Anepigrafia
Fizeram uma boemia.

Como em toda boa festa,
Também tem os atrasados...
A Sis, o Ebrael e o Adriano
Chegaram bem, lado a lado.

E por aqui eu encerro
Esta minha homenagem
E aos amigos tão queridos
Muitos beijos coloridos.


Escrito por Rosana Madjarof – 08/10/2009 – 00:30 h.

quarta-feira, 7 de outubro de 2009

A Fada Que Quero Ser...


Queria ser uma fada
Com varinha de condão,
Para fazer uma mágica
Do amor e do perdão.

Com minha varinha mágica
Correria mundo afora,
Espalhando emoções,
E amor nos corações.

Também faria crescer,
E brotar nos corações
Os sentimentos sinceros
De todas as compaixões.

É difícil acreditar
Neste mundo de miséria,
Que empobrece nossa alma
E destrói a nossa terra.

Quero um mundo mais feliz
Com mais amor e união,
E não quero ver os lares
Sem afeto e compreensão.

As guerras devem ter fim,
E a paz deve reinar,
Para um mundo mais feliz
Nós podermos habitar.

Se quiser me ajudar
Nessa luta com fervor,
Então pegue sua varinha
E vá espalhando o amor.


© Por Rosana Madjarof – 07/10/2009 – 19:53 h. - Direitos Autorais Reservados

Hoje é Meu Aniversário...


Hoje é meu aniversário
E eu vou comemorar
Mais um ano que ganhei
Pra minha vida alegrar.

São 50 primaveras
Que estou a completar
Mas estou muito feliz
E juro, não vou chorar.

Vou afastar as lembranças
Que possam me entristecer,
Pois sei que minha Tatinha
Estará a me dizer:

“Mãezinha, meu coração
Está em festa por ti,
Por poder te abraçar
E ver você a sorrir.

Neste teu aniversário
Quero estar bem junto a ti,
E vai ganhar meu presente,
Pois sua filha está aqui.

Eu te dou meu coração
Recheado de emoção,
E um jardim bem florido
Perfumado e colorido.

Seja feliz minha mãe
Na vida que Deus lhe deu,
Pois só faz 50 anos
Quem já amou e sofreu”.

Agora sou eu que agradeço
A minha mãezinha amada,
Minha Rosa iluminada,
Mãe sublime e abnegada.

Se hoje estou aqui,
Agradeço a minha mãe,
Que me deu o seu amor
Seu carinho e seu calor.

Neste 7 de outubro
Eu só posso agradecer
Por todo esse carinho
Que envolve o meu ser.


© Por Rosana Madjarof – 07/10/2009 – 00:51 h. - Direitos Autorais Reservados

terça-feira, 6 de outubro de 2009

Liberdade Para Pensar...


Como é bom estar sozinha,
num cantinho a meditar,
ouvindo os pingos da chuva
com raios a trovejar.

Não sinto medo da chuva,
quando estou a meditar,
e os sentimentos invadem
meu coração milenar.

E o pensamento nasce,
nasce euclidianamente unido
às emoções poligonais
de meu oblíquo sentimento!

Não penso porque quero,
penso porque penso,
e o sentimento me faz pensar
como um pássaro livre a voar.

Minhas vontades eu posso dominar,
mas os meus pensamentos, não.
Eles brotam, assim como brota
de um cigarro aceso a fumaça.

É muito bom sentir-se livre para pensar,
mas quero ser uma livre pensadora.
Livre não somente para pensar,
mas para poder pensar livremente.

É por isso que eu digo,
toda hora, e sem parar,
que o remédio para a alma
é pensar e articular.

© Por Rosana Madjarof – 06/10/2009 – 23:25 h. - Direitos Autorais Reservados

Reflexões Sobre a Morte...


Divagando sobre a vida
Numa hora de lazer
Pude mesmo refletir
Sobre a morte e o morrer.

Não são só analogias
Entre essas duas palavras,
Pois a morte anunciada
É o morrer de uma jornada.

A morte é a certeza
Que revela a natureza...
Mas a natureza inspira
Flores, frutos e magia.

Essa natureza mostra
As árvores mais frondosas
Que dão sombras nas encostas
Repousando sobre as rochas.

As rochas fazem florir
As flores mais delicadas
Tão belas e perfumadas
Lembrando a pessoa amada.

A morte tem sua beleza
Como a vida também tem
Mas é na hora da morte
Que queremos viver bem.

Pois morrer é não viver
E muitos morrem em vida...
Como a pobre margarida
Que tem sua vida tolhida.

O morrer é não saber
Se a vida vale a pena...
Só tem medo de morrer
Quem esqueceu de viver.

© Por Rosana Madjarof – 05/10/2009 – 18:20 h. - Direitos Autorais Reservados

segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Minhas Metades...


Muitas vidas eu já vivi
Nas estradas que escolhi
E sei que fui viandante
Por buscar alguém distante.

Agora eu me descobri
Na vida que tenho aqui
Pois aqui eu encontrei
As metades que eu perdi.

Metade de mim é amor
A outra metade também
Metade de mim é saudade
A outra metade eu não sei.

Vivo por querer bem
Vivo por amar alguém
E vivendo intensamente
Sigo sempre mais além.

Um coração mutilado
É como um cristal delicado
Que precisa de cuidados
Pra não ser dilacerado.

Cuido do meu coração
Com amor e afeição
Com duas filhas queridas
E animais de estimação.

Cada um tem seu espaço
Dentro do meu coração
As filhas, os cães, os gatos
Amo todos de paixão.

Ser guerreira e ser mãe
De duas lindas meninas
É privilégio, eu garanto...
É uma vida de encantos.

Para quem quer conhecer
Quem eu sou e o que faço,
Basta seguir os meus passos
Nos poemas que eu traço.

© Por Rosana Madjarof – 05/10/2009 – 00:42 h. - Direitos Autorais Reservados

domingo, 4 de outubro de 2009

Minha Vida Sem Mim...


Hoje parei para pensar...
Pensei nos dias que já vivi...
Pensei nas noites que não dormi...
Pensei nas horas em que sorri...

E na correnteza dos rios
No turbilhão dos oceanos
Eu encontro esses pensamentos
E também meus sentimentos.

Foram dias delicados
De muitos anos dourados
E as lembranças do passado
No meu peito estão guardados.

Confidências foram poucas
No livro que escrevi
Mas deixo nas entrelinhas
Coisas que são só minhas...

Mas eu devo confessar
Que muitas vezes chorei
Por amar demais, eu sei...
A filha que eu gerei.

Tudo passa nesta vida
Mas nem tudo a gente esquece,
Pois as páginas em branco
São início de uma prece.

E nas preces que eu faço
Peço a Deus, meu Salvador,
Que me conceda a graça
De sonhar com meu amor.

Mas o Pai sempre me ouve
Pois não quer me ver chorar
De saudade dessa filha
Que Ele mesmo quis levar.

A minha vida sem mim
É difícil imaginar...
Mas vou vivendo assim,
De uma forma singular.

© Por Rosana Madjarof – 04/10/2009 – 00:00 h. - Direitos Autorais Reservados

sábado, 3 de outubro de 2009

Sonhos Adormecidos...


Sonhos vem e sonhos vão
Como uma doce canção
Onde mora o sentimento
De alguém na solidão.

A solidão que atormenta
Os corações mais aflitos
São como mares abertos
Em busca do infinito.

Só pode se sentir só
Quem esqueceu de viver
Pois a solidão reflete
A essência do nosso ser.

Se queremos alegria
Fujamos da nostalgia...
Cantemos uma melodia
Seja noite ou seja dia.

Para fugir da tristeza
E também da solidão
Colha a primeira rosa
Que nasce em seu coração.

O colorido das flores
E o perfume do jasmim
Fazem nascer no peito
Uma alegria sem fim.

Para fazer do seu sonho
Alegria e realidade
Viva com felicidade
Afastando as tempestades.


© Por Rosana Madjarof – 07/04/2008 – 21:25 h. - Direitos Autorais Reservados

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Mistérios da Vida...


O grande mistério da vida
Encontra-se na guarida
De um amor sem igual...
É esse amor que alimenta
As dores e as tormentas
Com um gesto maternal.

Os mistérios são insólitos
E o tempo assim o diz...
Mas a alma que o sustenta
Não pode ser infeliz.

Há outro mistério na vida
Que não se pode ocultar,
E muito menos negar...
Esse mistério é a morte
Que nasce da própria sorte
Daquele que quer chegar.

Esperamos a chegada
De um ser tão pequenino...
Com muito amor e carinho
A nossa vida alegrar.

Mas o mistério da vida
Que a própria vida anuncia
Pode mesmo assustar...
São caminhos distorcidos
Onde nos vemos perdidos
Não encontrando o lugar.

Mas eis que surge a esperança
Em meio a tantos caminhos...
E mesmo entre os espinhos
Um dia chegaremos lá.


© Por Rosana Madjarof – 06/04/2008 – 14:22 h. - Direitos Autorais Reservados

Saudade é o Teu Nome...


A saudade é como o vento
Que ruge através dos tempos
Buscando uma direção
Para afastar a solidão.

Saudade é palavra doce
Que nos faz viver outrora
Revivendo emoções
De amores e paixões.

Saudade é mais que quimera
É a realidade da vida
Das nossas idas e vindas
Das nossas buscas perdidas.

Saudade não é ausência
É prova da existência
De alguém que já viveu
Que amou e que sofreu.

Saudade é o infinito
De um amor que não se acaba
Pois quem ama não esquece
Daquela pessoa amada.

Saudade é saber esperar
É saber renunciar
É sofrer sem sentir dor
É chorar com muito amor.

Saudade é âncora forte
No peito de uma mãe
Que canta a sua saudade
Em tom de felicidade.

Saudade é desprendimento
Onde mora a esperança
No sorriso da criança
Que cresceu e feneceu.

Saudade é o sentimento
Que habita os corações
Aflorando sensações
Liberando as emoções.

Saudade é encerramento
De um verso em pensamento
Onde todo sofrimento
Tem começo, meio e fim.

Saudade Eterna da Minha Tatinha!

© Por Rosana Madjarof - 16/04/2008 - 21:26 h. - Direitos Autorais Reservados

Related Posts with Thumbnails
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Savar nos Favoritos Mais