Leve-me com Você

Leve-me Com Você

Saudade e Adeus - Pedacinho do Céu

Saudade, Eterna Saudade...

A saudade existe para confortar nossos corações, pois somente sentimos saudade daqueles a quem, verdadeiramente, amamos...

Um Anjo em Minha Vida

Mãe, eu queria ser um anjo, um anjo com grandes asas brancas cintilantes, ou, até mesmo coloridas asas, isso não importa...

A Carta Que Acalmou Meu Coração

É incrível mão. É difícil expressar essa minha emoção, e todo este intercâmbio que me permite entregar esta carta em suas mãos...

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Minha Flor de Primavera...


Minha filha, minha vida,
Minha doce inspiração
Você é minha guarida
Mas levou meu coração.

Nos meus sonhos eu te vejo
Sempre alegre a sorrir
Com seus cabelos ao vento
Anunciando o porvir.

E a mais linda quimera
Da estação primavera
Perfuma o meu jardim
Rosas, cravos e jasmins.

Você é a flor mais bela
Que desabrocha o meu ser
E em mim faz florescer
A vontade de viver.

Vivo em vida por você,
Mas a cada amanhecer
Quando canta o beija-flor
Não controlo a minha dor.

Essa dor é a saudade...
Saudade do meu amor
Que tão cedo me deixou
E só saudade restou...

Meus dias não são os mesmos...
Sem você pra me falar
Que me ama com doçura
Com candura no olhar.

Sinto falta dos teus beijos
Pois tu és meu bem querer,
Mas a nossa Luciana
Alivia o meu sofrer.

© Por Rosana Madjarof – 30/09/2009 – 20:40h. - Direitos Autorais Reservados

O Silêncio Que Não Quer Calar

Quebrando o Silêncio

O silêncio fala, consente, destrói muitas mentes, acabando com famílias inocentes. Mulheres indignadas, crianças amedrontadas, sem rumo para seguir. Os velhos já foram jovens, mas com idade avançada já não encontram a velha estrada para caminhar e sorrir. Mas nem tudo é poesia...

Hodiernamente, a violência tornou-se parte integrante do nosso cotidiano. Aqui, estamos falando de violência urbana, e nunca se ouviu falar tanto em violência e nos meios de combatê-la. Entretanto, sentimos que essa insegurança nunca foi tão assustadora como agora, pois vemos pessoas mudarem de rota para chegarem ao seu destino, pessoas que preferem ficar em casa a saírem à noite, pessoas que protegem suas residências com grades, cercas elétricas e alarmes... E, ainda, há aqueles que com maior poder aquisitivo blindam seus veículos para sua segurança.

Vários são os tipos de violência, e chamamos de violência urbana aquela que presenciamos todos os dias, em todos os lugares, mas junto a esta vamos encontrar outros tipos de violências, como a violência contra a mulher, a criança, o idoso, os homossexuais, os negros, os nordestinos etc.

Todos os tipos de violência são inaceitáveis, e necessitam serem combatidas, mas, para que isso seja possível necessitamos de medidas cabíveis para controlar o crescimento de todos os tipos de violência.

No entanto, é mister que os órgãos competentes se manifestem em prol do cambate de cada tipo de violência, ou seja, há que se ter um apanágio específico para solucionar e acabar de vez com os diversos tipos de violência.

Deverá existir uma congruência do Poder Público para que sejam traçados planos de combate à violência, e seja qual for o tipo de violência, é necessário que, a priori, sejam analisadas as violências domésticas, pois os maus tratos começam dentro da própria casa, e ninguém está incólume dentro de sua própria casa, quanto mais fora dela.

O Poder Público, até os dias de hoje, utilizou-se de panacéias para “fazer de conta” que se preocupa com os direitos das crianças, jovens, mulheres, idosos... Mas quais as providências adotadas até agora? E do que adianta os Direitos Humanos ditarem leis contra a violência, se estas não são cumpridas?

A criança de hoje, tornar-se-á um respeitável cidadão de amanhã, mas para que isso seja possível, elas necessitam de educação e cuidados não somente por parte da família, mas pelos órgãos competentes que devem assumir um compromisso com a sociedade, mas não de uma forma tácita, e sim, dentro dos parâmetros e paradigmas concernentes pela Lei.

Diante do exposto acima, é meramente impossível ignorar a relevância do artigo 3º disposto na Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, quando temos a oportunidade de poder olhar, de frente e diuturnamente, para a sociedade que, por meio de suas constituintes, legitimou-a, tornando-a a maior expressão de nossas aspirações. Cada cidadão brasileiro, de canto a canto, traz consigo essa ditosa pretensão.

A agressão não escolhe raça, idade e classe social. Não existem estatísticas entre as classes sociais no que se refere às agressões.

Destarte, acredito que todo tipo de manifestação contra a violência deverá ter como escopo a pessoa humana, acreditando e ancorando-se no evolver dos pensamentos e atitudes dos nossos governantes.

© Por Rosana Madjarof – 30/09/2009 – 16:30 h. - Direitos Autorais Reservados

Silenciando Corações...

O silêncio ensurdece
Calando a nossa voz...
Mas é no poder da mente,
Num pensamento latente,
Que uma voz proeminente
Sussurrando sugestões
Alivia os corações.

O pensamento é confuso
Pois as letras são trocadas,
Por certo embaralhadas
Na mente do pensador…
Mas eis que surge um clarão
No meio da escuridão
Anunciando o refrão.

O refrão é a esperança
Que nasce dos olhos teus.
E esse brilho no olhar
Logo vem anunciar...
Um sorriso a acalmar
Uma mãe que chora e sofre
A morte do filho seu.

Mãe que é mãe chora seu filho
Quando nasce e quando morre
Pois a mãe sem o seu ninho
Espreita a própria morte…
Mas é na escrita traçada
Depois de revogada a morte
Que a mãe vê o seu suporte.

© Por Rosana Madjarof – 04/04/2008 – 20:59 h. - Direitos Autorais Reservados

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Ilusão da Glória - "Yesterday"


Deus, não consinta que eu seja o carrasco que sangra as ovelhas, nem uma ovelha nas mãos dos algozes.

Ajuda-me a dizer sempre a verdade na presença dos fortes, e jamais dizer mentiras para ganhar os aplausos dos fracos.

Meu Deus!

Se me deres a fortuna, não me tires a felicidade.

Se me deres a força, não me tires a sensatez.

Se me for dado prosperar, permite que eu não perca a modéstia, conservando apenas o orgulho da dignidade.

Ajuda-me a apreciar o outro lado das coisas, para não enxergar a traição dos adversários, nem acusá-los com maior severidade do que a mim mesmo.

Não me deixe ser atingido pela ilusão da glória quando bem-sucedido, e nem desesperado quando sentir o insucesso.

Lembra-me que a experiência de um fracasso poderá proporcionar um sucesso maior.

Oh, Deus!

Fazei-me sentir que o perdão é o maior índice da força, e que a vingança é prova de fraqueza.

Se me tirares a fortuna, deixa-me a esperança.

Se me faltar a beleza da saúde, conforta-me com a beleza da fé.

E quando me ferir a ingratidão e a incompreensão dos meus semelhantes, cria em minha alma a força da desculpa e do perdão.

Se eu Te esquecer Senhor, não Te esqueças de mim.

Urgência de Viver - "Somewhere In Time"


Esperamos demais para fazer o que precisa ser feito.

Num mundo que só nos dá um dia de cada vez, sem nenhuma garantia do amanhã.

Enquanto comentamos que a vida é curta, agimos como se tivéssemos a nossa disposição um estoque inesgotável de tempo.

Esperamos demais para dizer as palavras de perdão que devem ser ditas, para por de lado os rancores que devem ser expulsos, para expressar gratidão, para dar ânimo, para oferecer consolo.

Esperamos demais para ser generosos, deixando que a demora diminua a alegria de dar espontaneamente.

Esperamos demais para ser pais de nossos filhos pequenos, esquecendo quão curto é o tempo em que eles são pequenos, e quão depressa a vida os faz crescer e ir embora.

Esperamos demais para dar carinho aos nossos pais, irmãos e amigos, quem sabe quão logo será tarde demais.

Esperamos demais para ler os livros, ouvir as músicas, ver os quadros que estão esperando para alargar nossa mente, enriquecer nosso espírito e expandir nossa alma.

Esperamos demais para enunciar as preces que estão esperando para atravessar nossos lábios.

Para executar as tarefas que estão esperando para serem cumpridas.

Para demonstrar o amor que talvez não seja mais necessário amanhã.

Esperamos demais nos bastidores, quando a vida tem um papel para desempenharmos no palco.

Deus também está esperando.

Esperando pararmos de esperar.

Esperando nós começarmos a fazer agora tudo aquilo para qual este dia e esta vida nos foram dados.

Amigos!

É hora de viver!

Diário de Uma Criança Que Não Nasceu


05 de outubro.

Hoje teve início a minha vida. Papai e mamãe não sabem. Eu sou menor que um alfinete, contudo, sou um ser individual.

Todas as minhas características físicas e psíquicas já estão determinadas. Terei os olhos de papai e os cabelos castanhos e ondulados da mamãe. E isso também é certo: eu sou uma menina.

19 de outubro.

Hoje começa a abertura de minha boca. Dentro de um ano poderei sorrir quando meus pais se inclinarem sobre meu berço.

A minha primeira palavra será Mamãe. Seria verdadeiramente ridículo afirmar que eu sou somente uma parte de minha mãe. Isso não é verdade, pois sou um ser individual.

25 de outubro.

O meu coração começou a bater. Ele continuará sua função sem parar jamais, sem descanso, até o fim dessa minha existência. De fato, é isso uma grande dádiva de Deus.

02 de novembro.

Os meus braços e as minhas perninhas começaram a crescer até ficarem perfeitas para o trabalho; isto requererá algum tempo, mesmo depois de meu nascimento. Assim que for possível, enroscarei meus bracinhos no pescoço da mamãe e lhe direi o quanto eu a amo.

20 de novembro.

Hoje, pela primeira vez, minha mãe percebeu, pelo seu coração, que me traz em seu seio. Acho que ela teve uma grande alegria.

28 de novembro.

Todos os meus órgãos estão completamente formados. Eu sou muito grande.

02 de dezembro.

Logo mais poderei ver, porém, meus olhos ainda estão costurados com um fio.

Luz, cor, flores... como deve ser magnífico! Sobretudo, enche-me de alegria o pensamento de que deverei ver minha mãe... Oh! Se não tivesse que esperar tanto tempo! Faltam ainda mais de seis meses.

12 de dezembro.

Crescem-me os cabelos e as sobrancelhas. Já imagino como minha mãe ficará contente com a sua filhinha!

24 de dezembro.

O meu coraçãozinho está pronto. Deve haver crianças que nascem com o coração defeituoso. Nesse caso, precisam sujeitar-se a delicada cirurgia para corrigir o defeito. Graças a Deus o meu coração não tem nenhuma anomalia, e serei uma menina cheia de vida e forças. Todos ficarão alegres com meu nascimento.

28 de dezembro.

Hoje minha mãe amanheceu diferente, está um pouco angustiada. Mas uma coisa é certa: nós vamos sair para um passeio.

Creio que ela quer se distrair um pouco, talvez comprar roupinhas para mim. É isso mesmo, estamos saindo para algum lugar.

Ih! Acho que estamos entrando em uma clínica. Deve ser para checar se a minha saúde vai bem. Que ótimo! Quando eu sair daqui, direi à minha mamãe o quanto lhe sou grata.

O médico está chegando...

Mas... esses instrumentos não são para um exame... Não, mamãe! Não o deixe se aproximar!

Ai, que horror! Esta é uma clínica de aborto! Socorro! Deixem-me nascer!

... Ninguém escuta meus gritos!

E meus sonhos de felicidade...

Minha vontade de ver a luz, as flores, as cores...

Tudo acabado...

Sim... Hoje... Hoje minha mãe me assassinou...

* * *

A história é dramática e triste, mas, infelizmente, se repete diariamente nas clínicas de aborto do nosso país ou em casas de pessoas que se alimentam com o dinheiro ganho com o sangue de vítimas indefesas.

Hoje já não se pode mais alegar que o feto não é um ser individual, distinto da mãe, pois a ciência afirma o contrário todos os dias.

Assim, tanto quem pratica o aborto quanto quem o consente, deverá responder perante as Leis Divinas sobre esse crime.

Pensemos nisso!

Redação do Momento Espírita, com base em texto atribuído a H. Schwab ( Nur ein Hinderland ist ein Vaterland), ed. Herder.
Disponível no livro Momento Espírita, v. 1 e no CD Momento Espírita, v. 4, ed. Fep.
Em 22.04.2009.

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Em Algum Lugar do Passado

Este inusitado filme, do início dos anos oitenta, tem início numa estréia do teatrólogo Richard Collier (Christopher Reeves), quando este recebe de uma idosa senhora um relógio de bolso, sorrindo a lhe dizer: "Volte Para Mim".

Alguns anos mais tarde, Richard, sentindo-se pouco inspirado, resolve passear e se hospeda num quarto do Grand Hotel, em Chicago.

Lá, no Salão Histórico do Grand Hotel, dá de cara com um quadro fotográfico que mudará a sua vida... Uma bela mulher que, por um motivo que desconhece, lhe faz sentir-se desesperado por encontrar. Seu nome é Elise McKenna (Jane Seymour), uma atriz famosa que fez uma peça no teatro deste hotel em 1912.

Daí em diante, surpresas irão se desenvolver, contagiando o espectador até o desfecho inesperado.

Inesquecível como filme, e serve para meditar no tempo que nós não sabemos aproveitar, e no valor das pequenas coisas, como um passeio ou um abraço, ou ainda estar apaixonado.

Se você pudesse reencontrar um amor verdadeiro, sua vida seria diferente?

Que esforço temos feito para encontrar a felicidade verdadeira?

Viver, afinal, não deve ser tão complicado.

Simplesmente emocionante!


Myriam Margarida, Minha Amiga-Irmã...


Um poema maternal
Para uma amiga especial,
Que mais parece um cristal
Com um brilho angelical.

Essa amiga e companheira
Que seu filho devolveu
É uma forte guerreira
Na força que Deus lhe deu.

Nossos filhos tão amados
Estudavam lado a lado
E no espaço de dois meses
Foram morar do outro lado.

E assim nos conhecemos
Com a dor de uma saudade
Dos filhos que devolvemos
Fizemos grande amizade.

Hoje estou muito triste
Por notícia recebida
Que a Myriam Margarida
Numa cama está retida.

Foi em 20 de setembro
Deste ano que estamos
Que a Myriam Margarida
Por um derrame foi acometida.

Mas confiamos em Deus,
Pois o Pai não abandona
Uma mãe sempre guerreira
Amiga e companheira.

Fique boa minha amiga
Pois de pé te quero ver
E não desista da vida
Seja forte e decidida.

Eu te amo amiga-irmã
De outras vidas eu sei
Mas é na vida de agora
Que desejo te ver bem.

Te Amo Myriam!

Sua fiel amiga e irmã de outras vidas.

© Por Rosana Madjarof – 28/09/2009 – 13:00 h. - Direitos Autorais Reservados

Dedico este poema para a minha grande e querida amiga-irmã – é assim que nos tratamos -, que sofreu um AVC no dia 20/09/09. Peço a Deus que a ampare, e peço a todos os meus amigos que orem pela sua total recuperação.

domingo, 27 de setembro de 2009

O Grande Homem da Minha Vida...


Tempos bons que não voltam mais... Tempo em que podíamos brincar nas ruas, sem receios, sem medos. Brincadeiras de crianças que, hodiernamente, não vemos mais; como, por exemplo, ciranda, amarelinha, bafo, bolinha de gude, passa anel, pular corda e muitas outras que, no momento, não me vêm à mente.

Muitos anos se passaram, mas lembro-me com muita saudade e carinho do homem mais importante da minha vida, do homem que me ensinou a brincar, sorrir, sonhar, me educou, me amou e lutou, lutou muito, e com muito sacrifício para que eu pudesse ser o que hoje sou.

Lembro-me, também, dos tempos de Ditadura, onde não podíamos falar em política ou ter pensamentos contrários ao regime da época. Não podíamos ter acesso a certos livros, mas, sempre que podia, pegava os livros que meu pai guardava a sete chaves sobre o regime comunista e devorava-os. E foi assim que, desde cedo, aprendi a dizer o que penso, mesmo correndo o risco de ser repreendida.

Ah! Se eu pudesse voltar no tempo... Com certeza, teria dado mais valor às coisas mais simples da minha vida, como, por exemplo, o cafezinho que meu pai levava todas as manhãs para me acordar. Teria sido mais paciente e compreensiva... Teria dado mais e exigido menos... Teria ouvido mais e falado menos... Teria amado mais, beijado mais, abraçado mais... Melhorado mais.

É por isso que eu sempre digo: não deixe para depois o que podes fazer hoje. Não basta apenas filosofar... Tem-se que pôr em prática toda a sua filosofia; para não transformá-la em uma mera e simples vã filosofia. Não tenha vergonha nem receio de dizer o quanto ama alguém, seja homem ou mulher. O amor não tem sexo, idade, raça, cor. O amor é sublime e deve ser dito e demonstrado. Diga Eu te Amo sempre que sentir vontade. Não sinta saudade de não ter dito, muitas vezes, Eu te Amo...

Hoje, queria poder ter meu velho e querido pai aqui, comigo. Talvez fizéssemos juntos o que não tivemos tempo nem oportunidade de fazer outrora. Poderíamos trocar mais idéias, discutiríamos mais sobre a política - que ele tanto gostava -, passearíamos mais, dividiríamos nossas alegrias e tristezas, ficaríamos mais juntos, mais próximos.

É... Lá se vão dezoito anos de saudades e recordações. Minhas memórias estão bem guardadas e, cada minuto que passei ao seu lado está gravado em minha mente e em meu coração. O orgulho que sinto por de ter podido chamá-lo de MEU PAI é incomensurável e inenarrável. Você foi o homem mais importante da minha vida, e eu te amarei eternamente.

Deixo, aqui, o meu eterno agradecimento por tudo que você fez por mim, por tudo aquilo que você gostaria de ter feito e não pôde, por tudo que você representou na minha vida, por ter feito de mim uma pessoa digna e respeitável, por ter me ensinado a amar e ser amada, honrar e ser honrada... Por ter me ensinado a viver e a crescer.

Obrigada Meu Pai. Eu Te Amo e Te Amarei Eternamente.

Sua filha sempre grata, Rosana Madjarof.

sábado, 26 de setembro de 2009

Palavras ao Vento...


As palavras que eu não disse
Num papel foram transcritas
E se não foram ouvidas
Espero que sejam lidas.

O lápis e o papel
São meus fiéis companheiros
Pois aceitam por inteiro
Tudo que eu quero escrever.

E quando eu erro na escrita
Pego a amiga borracha
Que me ajuda a desfazer
Tudo o que eu não quis dizer.

E assim vou escrevendo
Seja em verso, trova ou prosa
E como um botão de rosa
Desabrocho o meu ser.

Muitos, porém, não entendem
O porque d’eu não falar
As palavras que coloco
Num papel tão singular.

Mas o coração me pede
Que eu escreva sem parar
Tudo aquilo que sentir
Pra poder eternizar.

Sempre fui boa na escrita
Mas falar não é meu forte
Prefiro atirar à sorte
O dom de poder calar.

E assim eu vou seguindo
Com passos lentos ao vento
E com todo o sentimento
Chegarei a algum lugar

© Por Rosana Madjarof – 03/04/2008 – 22:20 h. - Direitos Autorais Reservados

Meus Caminhos...



Não sei se fico, ou se vou
Nem mesmo sei quem eu sou
E os caminhos que eu conheço
Desconhecem a minha dor.

Tracei um plano de vida
Projetos inacabados,
Por suas bases insólitas
Não foram concretizados.

Hoje sei que fui errante
Nos percalços dos caminhos,
Mas há de chegar o tempo
De encontrar o meu ninho.

Se porventura pequei,
Ou errei tempos de outrora
Por certo haverá o dia
De um novo nascer da aurora.

No porvir que se aproxima
Ouço o canto delicado
De um pássaro dourado
Doce mel dos meus pecados.

No meu peito machucado
Bate forte um coração,
Coração descompassado
Por viver na solidão.

Mas nos dias que me restam
Com certeza deixarei,
Minha marca, na certeza
De tocar um outro alguém.

© Por Rosana Madjarof - 03/04/2008 - 20:40 h. - Direitos Autorais Reservados

As Dez Coisas Que Eu Detesto...

Já que fui convidada, não poderia recusar e deixar de participar dessa brincadeira..., então, vamos lá...
Eu não gostaria de falar das coisas que eu "detesto", pois detesto a palavra "detesto", então, vou enumerar as 10 coisas que eu menos gosto...

1º) Eu não gosto de acordar cedo. Portanto, não me liguem antes da 10:00 h., pois, com certeza, eu ainda estarei dormindo...

2º) Eu não gosto de ir passear no shopping, então, nem adianta me convidar, pois seria perda de tempo...

3º) Eu não gosto de fazer ginástica, muito menos freqüentar academias... Só de pensar já fico cansada...

4º) Eu não gosto de adoçante... Infelizmente, vou ter que fazer um enorme sacrifício... Mas amanhã eu prometo não tomar mais café com açúcar, só tomarei meu café com o terrível adoçante... É que estou muito decepcionada com os 4 kg. a mais no meu peso que já estava 4 kg. a mais do que o normal... snif, snif... Tudo por uma boa causa...

5º) Eu não gosto de lavar louça na água fria, mesmo que esteja calor, então, se um dia eu for à sua casa e não tiver torneira elétrica ou aquecimento, nem olhe pra mim se a pia estiver cheia... Eu saio de fininho...

6º) Eu não gosto quando a conexão da Internet está lenta, pois eu pago para ter uma conexão de alta velocidade... É muita sacanagem quando isso acontece...

7º) Eu não gosto de ficar sem dinheiro... Só de pensar que vou ficar "dura" me dá insônia... E olha que eu nunca sofri de insônia heimmm... Eu durmo até sentada... rsss

8º) Eu detesto fila de banco... Por isso deixo tudo no débito automático... Aiiiiiii, quando será que vamos poder sacar dinheiro pelo computador??? O nosso computador, é claro!!!

9º) Eu não gosto de ouvir "menas", "pobrema", e nem dessa nova linguagem ciberbética de msn, orkut etc... Todos abreviam tudo e não escrevem e nem falam nada com nada. Onde já se viu escrever "naum" no lugar de não? Então, resumindo, eu não gosto de pessoas ignorantes. Ser simples é uma coisa, ser ignorante é outra bem diferente... O maior sábio é aquele que reconhece a sua própria ignorância, ou seja, como já dizia Sócrates: "Só sei que nada sei".

10º) Por fim, eu não gosto de jiló... Aliás, acredito ser esse fruto o único que eu não como... E não adianta disfarçar dizendo ser outra coisa, pois eu vou perceber na hora... rsss

Bom pessoal, acredito que coloquei aqui as 10 coisas que eu menos gosto, mas penso que daria para colocar mais umas 10 desse tipo...
Como vocês podem perceber, eu não sou uma pessoa tão exigente, pois as coisas que eu não gosto são simples, nada de complicado...

Beijos a todos.

Rosana Madjarof.

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Homenagem Feita Pelo Pai da Tatinha

Oi, Tati. Querida Filha.

Você sempre gostou de viajar, ir para bem longe, ficar bastante tempo fora. Eu nunca gostei muito, pois ficava sem você por muito tempo, porém, como te amo muito, sempre te dei toda liberdade de escolha, pois acima de tudo quis sempre que você fosse feliz.

Mas filha, agora você exagerou! Viajou repentinamente sem avisar ninguém, e ainda para ficar ausente mais tempo que das outras vezes. Acho que fez isso porque sabia que dessa vez eu não ia deixar de jeito nenhum.

Ainda bem que pelo menos sabemos para onde foi. É um pouco distante, porém, sem dúvida um lugar maravilhoso, lindo mesmo, com ótimas companhias, como as que você também tinha por aqui, e ainda vai encontrar pessoas que não vemos há muito tempo e que vão gostar de te ver novamente, pois também a amam muito.

Acho que desta vez você foi para ficar, mas tudo bem a gente vai se falando como der. A força do amor vai muito além de um telefonema, de um e-mail ou até do Orkut.

Olha, você vai encontrar aí um Amigo meu que eu converso com Ele todos os dias, e sempre falo de você e de sua irmã. Então, fique tranqüila porque Ele já te conhece bem.

Agradeça a Ele por mim por ter me dado a felicidade de ser seu pai e ter sua companhia por esses 23 anos; agradeça também por ter sido uma filha maravilhosa, por você ter entendido que sonhos para serem realizados dão trabalho, e você sempre se esforçou ao Máximo para conquistá-los; agradeça por você ter sido sempre tão alegre e, principalmente, alegrar a vida dos que estavam junto a você.

Agradeça a Ele por ter te dado a passagem para esta viagem em primeira classe, sem dor, sem sofrimento. Agradeça também por estar cuidando de você com todo carinho e amor que você merece.

Olha, eu já falei tudo isso com Ele, mas não custa nada reforçar. Eu acho que Ele vai gostar.

Ah! Avisa pra Ele não esquecer de mandar as passagens para nós também, pois vamos sentir muitas saudades de você e queremos te encontrar aí, onde você está. Mas fala pra Ele que não precisa ser pra já... Pode demorar um pouco, pois nós temos ainda umas coisas para resolver por aqui, e eu quero que você aproveite bem sua viagem, sem pressa.

Sua ausência está doendo muito em mim, em sua mãe, em sua irmã, avós, primos e amigos, mas vai passar.

Eu acho que os pais deveriam fazer esta viagem antes dos filhos, para poder ajeitar tudo por aí antes de vocês chegarem, mas têm coisas que nós não entendemos e por isso não podemos julgar, pois muitas vezes não sabemos o que é certo ou errado, o que é justo ou injusto.

O importante mesmo é que sabemos que está bem, e que todos os seus “queridos”, como você costuma se referir aos seus amigos, estão lhe mandando um abraço apertado, um beijo e um monte de recados no seu Orkut.

Fique com meu Amigo Deus, mas se tiver neve, vê se não vai se machucar como das outras vezes quando você fez snowboard lá no EUA.

Beijão. Saudades de seu querido papi Jorge.

Meu Primeiro Amor...


Tatinha,

Vejo-te em tudo que é belo e divino no esplendor da criação do Pai.
Estamos na Primavera!
Sob a luz do luar, fico a contemplar-te nas noites salpicadas de estrelas e vejo-te no silêncio da meditação e da prece.

Como é bom saber que somos eternos amada filha, e como é sublime amar!
Amo-te nas horas de dores e de alegrias, amo-te nas muitas horas de solidão profunda, em que meu espírito procura o teu, como a abelha a flor, como o regato o rio, e, como o rio, o mar.
Com o coração cheio de júbilo, agradeço a Jesus, querida filha, por teres me proporcionado imensa felicidade nos poucos anos que ficamos juntas.
É maravilhoso termos a certeza de que somos eternos.
Querida Tatinha, amo-te muito, e através deste amor sinto a saudade aumentar, mas espero que estes dias sejam convertidos com alegria quando nos encontrarmos.

Amo-te eternamente!

Tua mãe, Rosana Madjarof.

Tatinha Forever - Eterna Saudade...

Lucyana Star: Minha Estrelinha Linda!

Luciana, a Voz da Minha Vida...


Duas filhas Deus me deu
Para enfeitar minha vida
E mesmo na despedida
De uma filha que morreu
Tive a minha Luciana
Pra alegrar os dias meus.


Sua voz sempre suave
Entoa uma melodia,
Com muita pompa e magia
Esta pequena menina
Cantando com maestria
Faz sorrir os lábios meus.

Luciana, a minha Lú
É metade do meu eu
Pois minha outra metade
Partiu breve, e sem adeus.
Virou estrela celeste
No grande céu de meu Deus.

Agradeço ao Pai Maior
Por presente tão perfeito
Duas filhas abençoadas
Queridas e muito amadas
Pérolas perfumadas
Frutos do ventre meu.


© Por Rosana Madjarof – 14/01/2007 – 23:42 h. - Direitos Autorais Reservados

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Saudade, Eterna Saudade...


Tatinha, hoje, você dorme o sono dos justos. Por quantos caminhos você percorreu e, nesse tempo, quantas sementes de amor você plantou.
A sua Fé sempre foi tão grande quanto a sua Confiança em Deus, e isto a fez vencedora.
Na sua inocência, no seu bom coração, todos eram bons, e você sempre os queria bem, não julgando este ou aquele, pois eram todos amigos, nobres e queridos amigos, era assim que você os chamava.
Se alguma sombra escura pairava em seus caminhos, você me dizia: “Mãe! Se Deus quiser, isto não será nada”, e, no outro dia, tudo mudava e nada de ruim acontecia.
Essa segurança que a sua curta vida lhe ensinou, não há escola que possa ensinar. Você tinha a balança nos lábios, sabia pesar e medir cada palavra, anunciando sempre a Esperança.
Era uma menina-mulher caminhando à perfeição. Essa perfeição você alcançou no dia em que nos deixou, pois no Céu, alguém a amava mais do que todos nós.
Deixou como exemplo e herança, bens como a honestidade e a vontade de estudar, de trabalhar, de batalhar pelo seu ideal, sem nunca se cansar ou se queixar.
Não sei se um dia poderei ser como você minha filha, mas vivo na esperança e na certeza de que, se ao menos eu me esforçar um pouco, terei como mérito o prazer de no Céu te encontrar, pois é lá que irás morar eternamente.
A saudade é muito grande minha bonequinha, mas aonde quer que estejas, saberás o que escrevi para você.
Sua mãe que te amará eternamente, Rosana Madjarof.

Ajuda

Senhor,
Ajude-me a compreender e aceitar ainda mais, mesmo sabendo que dores e lágrimas são páginas que eu mesma escrevi.
Jesus, ajude-me a entender a mãe que chora a saudade do filho que partiu, e aquele que, sem reconhecer o sentimento de gratidão se entrega à rebeldia.
Ampare-me, Senhor, quando nos momentos de dúvida e medo possa compreender a dor do próximo e ajudá-lo.
Violência, desencontros, medo, tudo isso me faz sentir que o clima de sombras é criação nossa, e que, mais do que nunca, devo aprender a perdoar por saber que mais de setenta vezes sete fui perdoado.
Dá-me forças para alcançar a paz que procuro, e que, ao encontrá-la, possa me lembrar que ela pertence a todos nós. Compreendendo esses seus ensinamentos, Mestre, estarei apto a seguir-lhe os passos, e a vivenciar suas palavras de amor que dizem:
"A minha paz vos deixo, a minha paz vou dou".

Mensagem extraída do livro Nossos Encontros, psicografia de Celso de Almeida Afonso, pelo espírito José Xavier.

Related Posts with Thumbnails
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Savar nos Favoritos Mais